Trilha sonora

Para trazer à tona o latin lover dramático que existe em cada um de nós, nada melhor que uma bela trilha sonora. A dica é da queridíssima Izabela D’Urço: B.S.O. Almodóvar, um CD duplo produzido pelo próprio diretor com as melhores canções de todos os seus filmes. Segundo Pedro, as músicas foram usadas em cada produção como elemento artístico, e não somente como trilha sonora.

Abrindo o álbum, Tajabone, do senegalês Ismale Lô. Cantada em wolof, a música faz parte do premiado Todo Sobre Mi Madre. Uma delícia de violão, gaitinha espetacular e voz maravilhosa. É de suspirar já nos primeiros acordes.

Ne Me Quitte Pas na voz de Maysa, que dispensa apresentações, emoldura a cena de La Ley Del Deseo, onde Manuela Velasco atravessa um rio melancolicamente, vestida com suas roupas de primeira comunhão. De arrepiar.

A controversa cubana La Lupe, com sua voz áspera e dramática, não deixa barato em Puro Teatro, trilha de Mujeres al Borde de um Ataque de Nervios. Considerada uma das rainhas da salsa nos anos 60, La Lupe ficou conhecida por ser um verdadeiro diabo no palco com seus inconfundíveis gritinhos. Em menos de 30 segundos de música, você entende toda a questão da moça.

E como nem tudo nessa vida é bolero, taí Saint-Etienne com o batidão A Good Thing. Essa música é ótima por dois motivos: dá vontade de sair dançando em cima das mesas e é tocada em Volver, na festa onde Raimunda canta aos prantos, assistida pela mãe escondida no carro. Drama dos bons.

Já que estamos falando de Volver, o filme, chegamos a Volver, a música. Cantada pela Espetacular (com maiúscula) flamenca Estrella Morente, é uma versão espanhola do tango argentino de Gardel, e fala de como sempre voltamos ao amor que deixamos. Diz aí.

O CD inteiro é uma obra-prima, e cada canção tem sua cota de drama, exagero, delicadeza e até cafonice, não pode faltar uma pitadinha. A decepção em El Rosário de Mi Madre, toda a agressividade de Voy, o rancor em Sufre como Yo. Abra o coração, aperte o play e dê vazão a seu lado dramático. É impossível não se apaixonar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s